[TEASER] THE JACKAL, TERCEIRA PARTE DO CAPÍTULO 1 DO LIVRO



PARTE III - 30/07/2020

Quando ela confiou em si mesma para olhar para trás sem lançar um monte de "foda-ses" práticos para sua irmã, ela não viu absolutamente nenhuma mudança na resolução de Posie. E este foi o problema. Uma natureza doce, sim. Que irritante, coração mole, sim. Vontade de ferro? Quando se tratava disso, carregavam barcos.

Nyx levantou as mãos e xingou alto. De volta ao carro. Abrindo o porta-luvas. Tirando a pistola de nove milímetros que ela mantinha lá para emergências. Ao dar a volta na traseira da caminhonete, olhou para as sacolas reutilizáveis.

Eles estavam amontoados contra o banco como resultado do acidente, e era uma situação de boas / más notícias. Tudo foi destruído, mas pelo menos os itens frios estavam isolados, unidos em uma luta contra a noite de agosto de vinte graus.


"Oh, obrigada, Nyx." Posie cruzou as mãos sob o queixo como se estivesse fazendo uma promessa. "Vamos ajudar... espere, o que você está fazendo com a arma?"


Nyx não parou quando passou, então Posie agarrou seu braço. "Por que você tem a arma?"


"O que você acha que eu vou fazer com essa coisa? Dar uma “ressuscitação cardiopulmonar”? ”


"Não! Precisamos ajudar…”


Nyx ficou cara a cara com a irmã e falou em tom morto. "Se está sofrendo, eu vou derrobá-lo. É a coisa certa a fazer. É assim que ajudarei esse animal.”


As mãos de Posie foram para o rosto, pressionando as bochechas que estavam pálidas. "A culpa é minha. Eu bati no cervo.”


"Foi um acidente." Nyx virou a irmã para encarar a caminhonete. “Fique aqui e não olhe. Eu cuidarei disso."


"Eu não quis machucar o..."


"Você é a última pessoa do planeta que machucaria intencionalmente qualquer coisa. Agora fique aqui.”


O som de Posie chorando suavemente escoltou Nyx de volta para a estrada. Após as arrancadas dos pneus na terra e na folhagem arruinada, ela encontrou o cervo a cerca de cinco metros de onde eles haviam se desviado—


Nyx parou de repente. Piscou algumas vezes. Considerando vomitar. Não era um cervo. Aqueles eram braços. E pernas. Magras, concedidas e cobertas com roupas cor de barro que estavam em trapos. Mas nada sobre o que foi atingido era de natureza animal. Pior? O cheiro do sangue derramado não era humano.


Era um vampiro.


Eles atingiram um deles. Nyx correu para o corpo, guardou a arma e se ajoelhou. "Você está bem?"


Pergunta idiota. Mas o som de sua voz despertou os feridos, um rosto horrível e horrorizado voltando-se para ela.


Era um homem.


Um macho pretrans.


E, oh, Deus, o branco de ambos os olhos dele ficou vermelho, embora ela não pudesse dizer se era por causa do sangue escorrendo pelo rosto ou algum tipo de lesão cerebral interna. O que estava claro? Ele estava morrendo.


"Socorro,... me...” A voz fina e cortante foi interrompida por uma tosse fraca. “Fora da… prisão... me esconda...”


"Nyx?" Posie chamou: "O que está acontecendo?"


Por uma fração de segundo, Nyx não conseguiu pensar. Não, isso era mentira. Ela estava pensando, não apenas no carro, nas compras, no garoto que estava morrendo ou em sua irmã histérica.


"Onde", Nyx disse urgentemente. "Onde fica o campo?"


Talvez depois de todos esses anos... ela poderia descobrir para onde Janelle fora levada.


Isso tinha que ser o destino.


0 comentários:

Post a Comment

 

BDL no Facebook

Siga o @BDaggerLovers

Instagram @blackdaggerlovers